Criação de Parques Ambientais: preserva o meio ambiente e impulsiona a economia de Bituruna

Preservar o meio ambiente e, ao mesmo tempo, impulsionar a economia são desafios difíceis de conciliar. No entanto, em Bituruna, a Prefeitura tem conseguido solucionar esse conflito por meio do Projeto Parques Ambientais, que preserva áreas de maior prioridade para a conservação da diversidade biológica. Em contrapartida, o município é recompensado com o acesso aos recursos do ICMS Ecológico.

Para efetivar o projeto, foi aprovada, em 2017, a legislação que cria os parques ambientais e a prefeitura adquiriu quatro áreas destinadas à criação desses locais de preservação permanente. Dessa forma, a cidade está viabilizando, mediante política pública, a proteção dos recursos naturais existentes, beneficiando não só os moradores, mas também as gerações futuras. Além disso, em um momento de crise econômica que afeta todo o país, Bituruna dá exemplo ao implantar uma proposta que garante o aumento da arrecadação, o que dará condições para que os serviços públicos oferecidos à população sejam ampliados.

Os Parques Ambientais são considerados componentes vitais para qualquer ação de conservação da biodiversidade, funcionando como refúgios para espécies que não podem sobreviver em paisagens alteradas. São ainda áreas onde os processos ecológicos podem ocorrer sem maiores intervenções humanas, contribuindo para a preservação de suas características históricas, culturais e de pesquisas.

Com o fortalecimento dos índices ambientais, espera-se o crescimento da receita municipal a partir de 2018. Os recursos provenientes do ICMS Ecológico também serão utilizados para pagar as áreas adquiridas pela Prefeitura e para a manutenção dos Parques, o que torna o projeto autossuficiente. A quitação integral ocorrerá em cinco anos.

Fonte: PGP-PR

Relacionados