Programa de coleta seletiva de Ibiporã cria estratégias para melhorar a separação de resíduos

Com o objetivo de manter permanentemente a gestão adequada dos resíduos domiciliares em todas as suas etapas, desde a coleta, transporte, tratamento, até a destinação final, a Prefeitura desenvolveu o Programa de Coleta Seletiva Integral de Ibiporã. O projeto foi readequado para este ano, em parceira com o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), autarquia municipal responsável pela gestão dos setores de água, esgoto e resíduos sólidos.

Dessa forma, o serviço de coleta atende a um cronograma semanal preestabelecido e de pleno conhecimento da população, mediante distribuição de ímãs de geladeira, folders, folhetos de orientação e um programa de educação ambiental. A ideia é que os munícipes realizem a separação de seus resíduos de três maneiras: resíduos orgânicos, recicláveis e rejeitos.

Para incentivar e facilitar a separação, o Samae, por meio da empresa contratada, distribui sacos na cor verde para separação dos resíduos recicláveis e sacos na cor cinza destinados aos rejeitos. Os resíduos orgânicos podem ser separados em sacolas plásticas de mercado ou qualquer outro tipo de embalagem biodegradável. A coleta é realizada obedecendo aos dias corretos para coleta de cada tipologia.

Esse modelo de gestão aplica-se em todas as etapas dos serviços de coleta. Equipamentos eletrônicos diversos, bem como lâmpadas e pilhas, também possuem estratégias específicas para serem coletados de modo correto. Para o monitoramento da qualidade dos serviços prestados e dos indicativos de melhoria contínua do programa, é emitido mensalmente um relatório que aponta, por exemplo, os locais na cidade onde é necessário intensificar as ações de educação ambiental.

 Destinação

 O destino final dos resíduos atende aos critérios estabelecidos pelas políticas federais, estaduais e municipais. Os resíduos orgânicos são destinados para compostagem, os recicláveis são triados e mais tarde comercializados (sendo os recursos financeiros devolvidos ao Samae) e os rejeitos vão para uma vala construída especificamente para recebê-los.

Fonte: PGP-PR

Relacionados